domingo, junho 12, 2005

Ai ai

Ai ai... acho que não me expliquei bem no meu último post... é a minha falta de elequoência, ou se calhar o facto de na maioria dos dias, começar a escrever posts sem saber muito bem o que vou por... não sei...
Em primeiro lugar quero pedir desculpa se ofendi alguém com o que disse no meu post, não era essa a minha inteção, nem sequer era dizer que as pessoas com peso a mais deviam ser mais inibidas e não se divertirem ou vestirem o que querem... No fundo o que eu queria dizer... era no fundo um desbafo... durante toda (ou antes grande parte) da minha vida eu sempre fui a gordinha, e sei que isso não é agradável... só comecei a sentir-me mais feliz quando aceitei o meu corpo como ele era... depois disso, e não estou a brincar, por mais incrível que pareça comecei a perder peso sem fazer dietas... acho que era muito psicológico...
Talvez por ter sido a gordinha (e não estou a dizer que não sou agora, porque tenho muitas partes do meu corpo que de certeza pessoas mais conservadoras gostariam que eu não mostrasse) fico um bocado admirada com a naturalidade com que as sociedades ocidentais encaram a obesidade... sim não estou a falar de peso a mais como uns 5kgs, ou umas gordurinhas e pneus que a maior parte das mulheres têm... estou a falar daquela obesidade de 20 e 30kg a mais... nos dias que correm em que sabemos muito mais do mal que isso faz... que ainda existam pessoas que ignorem o perigo, sei que existem pessoas que estão bastante conscientes e que tentam perder peso e não conseguem... mas existem aquelas... que eu vejo muitas vezes aqui, que estão muito obesas e que continuam os hábitos de fast food que as tornou assim...
Concordo que a sociedade não discrimine uma pessoa obesa, e concordo que têm todo o direito de vestir roupa que as faça sentir sexy... mas no fundo não concordo com o rumo que a nossa sociedade (sociedade europeia) está a levar em que a obesidade é considerada normal... é preciso alertar e educar, e principalmente prevenir. Eu sei que por causa da minha história de família tenho tendência a engordar... por isso pela minha própria saúde tenho comer um bocado melhor para não chegar aos 30 e morrer de artérias entupidas de gordura...
No fundo o que acho que se devia fazer é consiencializar as pessoas que vivem numa sociedade de "fast living" que "fast food" não as vai ajudar só ajuda a uma "fast death"...
Espero que me tenha conseguido explicar um pouco melhor... mas as plavras muitas vezes não saem bem como desejo...
Jokas a todos bom fim de semana

Ana

9 comentários:

MP disse...

Don't worry.
Só não corre estes riscos (de ser mal interpretada) quem nada diz.
Acho que no geral toda a gente percebeu o q querias dizer.
bjs

Sonia disse...

Quando falamos da diferença geramos sempre polémica, quer queiramos, quer nao. No entanto minha querida, o importante é saber-mos entender onde o "outro" quer chegar.

Eu faço parte das gordurinhas com 15 ou 20kg a mais do que deveria ter, nao sou assidua dos Mc Donalds nem dos Burguer King, tenho sim um metabolismo lento e cheio de perguiça :P alem de que a tiróide tb não ajuda.

Sempre convivi bem com o meu corpo, mas nunca me senti bem com a diferença. Fiz tratamentos que me deixaram com um corpinho fantástico, massagens para perder a facidez e horas no ginásio, mas não vale a pena negar o que sou, não tenho tempo nem para massagens, nem para ginásio, com mta pena minha, de facto.
E as curvas voltaram de novo ;)

Se me dessem a escolher um outro corpo, eu negaria, sou bem feita, cheia de curvas mas errrmmm tenho de facto peso a mais!
Como estou a tentar engravidar, decidi, juntamente com o meu médico que estava na hora de travar este mal menor, mas que me dá tanta dor de cabeça. Bem sei que daqui a uns meses engordo de novo, porque o corpo se acustuma e porque a tiroide e o metabolismo são teimosos, mas para bem da minha saúde e de um filho, faço tudo e mais alguma coisa.
Não fiquei nada, mas nada chocada com o que escreveste, ser obeso é como ser anorético, é um mal cada vez mais comum. Tenho pena dos que troçam na rua, dos que ficam parados a olhar ao ver passar quem tem mais chicha, é dificil lidar com a diferença, mto mais do que com os problemas de peso.
Não devemos descourar da saúde, da estética, e dúvido muitas vezes da máxima que "gordura é formusura" e que os mais gordos são sempre os mais divertidos. Somos divertidos sim, mtas vezes , senao sempre para esconder uma realidade e sermos notados por outras qualidades que não aquela a que hoje é padrão esteriotipado, o corpo.

Espero tb que nao me intrepretem mal, pensem então que eu deveria ter 58kg e tenho mais 15, sim, estou numa escala de obesidade, e não gosto de ser como estou. Mas gosto de mim, e basta isso para fazer parte de mim feliz.

Beijinhos grandes, e gordos :P

Sonia disse...

eixxx

grande testamento :|
desculpa querida, deixei-me levar :|

Acho que nem em nenhum post publicado por mim, escrevi tanto.
ehehehe

Sara MM disse...

Não acredito que alguém tenha levado a mal... são factos, reais. E todos os sabemos! Podemos falar deles e admiti-los ou não....
BJs e ...
Inté ;o)

Margarida Atheling disse...

Estás carregadinha de razão. minha amiga!
Como diz a Sara dúvido que alguém te tenha levado a mal! :)

Beijinhos!

bekas disse...

Olá Ana
pois eu percebi exactamente o que tu querias dizer... e concordo plenamente
Beijinhos

Maria Lua disse...

E máinada!

Concordo totalmente contigo! Este país é uma aberração de gente ultra-obesa, com mais 50 kgs do que os que devia ter, e que não encara de frente os problemas de saude que tal envolve. Pelo contrário, dá a sensação que na cabeça desta gente, quanto mais mostrarem que não têm problemas com o seu corpo, usando grandes decotes e ultra mini-saias, mais rapidamente o problema da obesidade desaparece. Não é bem assim, como sabemos. Bjinhos grandes

D disse...

querida ana, gostei muito da tua posiçao principlamnete porque grande parte das crianças portuguesas têm peso a mais... sabes cmo é os jogos de playstation, os computadores e os fast foods porcausa dos horários das escolas desencaminham os meninos!
ninguém levou a mal o post mais ainda bem que fizeste um a esclarecer :)
beijos **

AnaBond disse...

Gostei muito da tua maneira de expôr as coisas.
Eu por mim acho que te explicaste muito bem e acho que ninguém se ofendeu.

Eu também entro na escala dos mais gordinhos... tenho 30 kilos a mais, e por mais que tente, é-me muito dificil emagrecer. Não é por não tentar, acredita.
Tenho plena consciência dos perigos da obesidade e tenho casos graves na familia (poucos são os magros). Não tenho pai e ele faleceu com um enfarte, causado pelo fumo mas também pelo colesterol alto. Os meus 4 avós já faleceram e tudo com problemas de 'sangue' e coração. Por isso sei desde muito novinha os cuidados que tenho a ter.

Encaixo-me naqueles que não comem comida de fast-food. Gosto de vez em quando, mas não morro de amores por eles.
Encaixo-me naqueles que são olhados de cima a baixo quando passam por mim as magrelas que se julgam mais que os outros.
Encaixo-me naqueles que têm de fazer dietas até ao fim da vida.
Encaixo-me naquelas que fariam quase tudo para ter 15 kilos a menos, bastava-me isso.
Encaixo-me naquelas que apesar de tudo, tenho 3 dedos de testa (não só dois), e que não uso certas roupas. Mas por isso também me encaixo naquelas que pouca roupa têm para escolher.

Mas olha, queres saber que mais? Posso ter este corpinho, mas não o mudaria se isso mudasse outras coisas também. Tudo bem, até ficaria mais feliz (só o facto de conseguir comprar roupa sem andar muito à procura era um grande feito), mas sou feliz e gosto de mim como sou (interiormente)... e tenho a felicidade de saber que os meus amigos gostam de mim pelo que eu sou, e não pelo que aparento ser... e tenho um marido que me adora, pois já me conheceu com peso a mais.

No fundo... todos temos problemas, temos é de saber gerir aquilo que temos... e ver o que de melhor temos na nossa vida... eu tenho os meus amigos, a minha familia, e o meu marido e o meu lindo filho... e se por momentos me dessem a escolher ou ser mais magra ou ter a vida que tenho, não hesitava... imaginas a minha resposta, não? :)

beijo
(eu posso ler muito, mas eu também vais ler)