quarta-feira, abril 05, 2006

o porque...

Quando digo a muita gente que vou voltar para Portugal a maioria das reacoes que encontro é de surpresa:
"Mas porque... portugal é um atraso de vida!"
"Ai no Reino Unido é que é!!!"
"Isto aqui sao só ladroes e criminosos!"
"Nao voltes!"

Quero voltar pois acho que sim... as coisas em Portugal nao estao bem... mas se ninguem que conheca uma realidade diferente (nao que aqui no reino unido as coisas sejam assim tao melhores) voltar... arregacar as mangas e tentar mudar nem que seja uma unica pessoa, ai as coisas nunca vao mudar...
Hoje li um texto que é mesmo a mentalidade portuguesa:

"Porque te queixas?" de Pedro Rolo Duarte, in DN online

" propósito do lançamento em Portugal de um livro da psicóloga espanhola Maria Jesús Álava Reyes, a Notícias Magazine de domingo passado fazia uma declaração solene na capa: "Já chega de andar com o mundo às costas." E lá dentro, Catarina Pires explorava os universos de A Inutilidade do Sofrimento, um livro que foi best-seller em Espanha e é bastante útil à mentalidade portuguesa.

Na verdade, a nossa maior especialidade - juntamente com o clássico "desenrasca" - é a queixa. A lamúria. O desfiar do rol das desgraças que sempre nos impedem de dar um passo em frente. "Muitos ais". Muito pouco "mais". Andamos com o mundo às costas mas... não fazemos nada com ele. Li-mitamo-nos a carregá-lo com sofrimento, pena de nós próprios e um evidente sentimento de injustiça.

Curiosamente, no entanto, apreciamos aqueles que não afinam por este diapasão. A popularidade de José Sócrates deve-se, em boa medida, a uma atitude "empreendedora" do Governo e do seu líder. Há muito tempo que não víamos tanta iniciativa. Não me lembro de ler Vasco Pulido Valente elogiar um Governo como o fez na sua crónica do Público - com as salvaguardas óbvias e os avisos prudentes... - e o mais pessimista dos nossos cronistas não está só. Parece que, da crise, emergem paraísos inesperados.

Como a nossa mania das lamúrias é uma doença endémica, entusiasmamo-nos com atitudes como a de José Sócrates, mas mantemos a reserva em relação a nós próprios e não perdemos o olhar desconfiado: "não deve ser bem assim", adoramos dizer. Olhamos o país sempre de fora, como se não fizéssemos parte dele. E essa é a nossa condenação.

No dossier da Notícias Magazine encontrei um provérbio chinês que deveria estar colocado em todas as repartições públicas (ao lado do Simplex, claro...), em todas as casas de Portugal, nas lapelas dos casacos, nos vidros dos carros, talvez até mesmo em permanência nos rodapés das televisões. Diz assim: "Se tem remédio, porque te queixas? Se não tem remédio, porque te queixas?"

Assim, com a irónica serenidade oriental, ali estão as duas perguntas que nos devem ser colocadas diariamente. Repetidamente. Até à exaustão. Só pelo cansaço venceremos os nossos eternos complexos. Eu, por exemplo, já estou cansado de ouvir queixas. De me queixar. E no fim deixar andar... "

"E esta hein?"

13 comentários:

Sofia disse...

Não podia estar mais de acordo...o nosso país precisa é de mais pessoas como tu...empreendedoras e com vontade de fazer algo para mudar esta pasmaceira...

Beijocas***

Guita disse...

Antes fosse pasmaceira acho eu, pasmaceira talvez seja sinónimo de "tudo continua igual" mas por cá o que se vai passando é que apesar de nada melhorar, nada se matém e tu piora e enquanto o belo do português for acreditando na peneira que lhe arranjam para ir tapando o sol, este país só pode regredir!

Também sou de por as maõs à obra mas à tanta coisa para fazer e somos tão poucos com vontade de virar a mesa...somos uns acomodados é o que é!!

Perguntas & Respostas disse...

Oi... Tudo bem?! É uma realidade as coisas em Portugal não estarem muito bem, mas se analisarmos bem as situações, não é só cá que as coisas não correm pelo melhor...! :)
Independemtente de qual seja a tua escolha, será a escolha melhor a fazeres... ;)
Bjokas...

Sara MM disse...

atraso de vida!?!
desculpem lá!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

somos os Máiores!!!!!!!!!!!!!!!!

:o)

BJs

Tânia disse...

Eu sou mais do tipo arregaçar as mangas, mas confesso que às vezes penso em desistir, mas odeio que as pessoas falem mal como se não fizessem parte.

Susana disse...

Volta que estás perdoada ;-)
Vale sempre a pena voltar ao nosso cantinho "à beira mar plantado" e com um bocadinho mais de calor e menos chuva que por aí. Não dês ouvidos a yudo o que se ouve. Para fazermos algo por alguém, é sempre melhor começarmos por nós e pelos nossos.
bjns gds

Lucia disse...

Acho que fazes bem em voltar pois precisamos de gente com inicativa para tentarmos mudar a nossa imagem de "atrasados" perante o resto do mundo.

E continuo a pensar que por muitos países que andemos não há nada como o nosso cantinho á beira-mar plantado...

Beijinhos

Xuinha Foguetão disse...

Ei lá! :)

Sim sra.

Gostei.

É esse o espírito. ;)

Beijocas grandes.

Jasmim disse...

Muito bem dito Ana.
Adorei o provérbio!

kikas disse...

É sinceramente o que menos gosto nos portugueses, o espirito de somos os piores, não valemos nada, blábláblá, e depois ninguém faz nada para mudar :-(
Eu sou sem dúvida uma patriota, naõ deixava este pedaço de terra à beira mal plantado por nada!!!

Penélope disse...

Nós somos os 'maiores'!! :)
Gostei do provérbio.
Penélope

tiago disse...

Olá ana! eu sou como tu, e fiz a mesma coisa. Mas aviso-te já que apesar de toda as nossas extremas boas intenções, isto é complicado de viver por aqui... mas enfim, nada que não se possa fazer! E enfim, para fazer riqueza, pode-se fazer em qualquer lugar. Cá custa mais um bocadinho, mas também é possível...
beijos, e novo blog

j04n1nh4 disse...

As coisas em portugal não estão bem mas é preciso ir á luta... com um bocadinho de esforço tudo se consegue!
Acho que fazes bem em voltar... este é o teu país, é aqui que tens a tua familia... Espero que corra tudo bem.
Quanto ao novo nome do blog eu votei em: Aventuras no reino dos Tugas. É giro!!!
Beijocas
Joana