sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Universidades...

Olá a todos... hoje vou contar-vos uma história muito muito chata... o porquê da minha vinda para o Reino Unido...
Sempre fui uma pessoa precoce... aos 15 anos decidi que o que queria fazer era investigação na área das biologias... estudei muito muito durante o secundário, mas sempre senti que não ia conseguir concretizar o meu desejo, em Portugal o ensino é muito teórico, passam-se 4 a 5 anos a aprender coisas que nunca se vai utilizar na vida... Física e matemática num curso de microbiologia são aceitáveis quando é uma cadeira de cada e a matemática é algo que possas utilizar durante o teu percurso profissional nessa área (como estatistica!)mas não se for um ano inteiro...
Comecei a pensar em alternativas... a primeira foi ir para o estrangeiro: Reino Unido ou França (pois sabia as duas línguas)... no final acabei por escolher procurar quais as oportunidades no Reino Unido pois sempre fui mais fluente em inglês que francês... Durante essas buscas descobri que como cidadã de um país da comunidade europeia tenho os mesmos direitos que os estudantes do Reino Unido a isenção de propinas... isso torna as coisas muito mais fáceis... e sentei-me à frente de um computador e encontrei um curso que gostava de fazer... Microbiologia Aplicada!
O meu curso não foi feito na universade mais glamorosa do Reino Unido, mas numa universidade onde me senti bem e onde encontrei um currículum que gostei... em primeiro lugar os cursos são todos de 3 anos (só medicina é que são 5), as cadeiras são vocacionadas para o futuro no emprego tanto em termos das aulas teóricas como práticas... os alunos têm acesso a muitos mais materiais e máquinas que em Portugal não têm... pelo menos contado por colegas que começaram o curso em Portugal e não gostaram...
Depois podes fazer ou não estágio, é opcional... tens exames, mas são exames acessíveis, não exames que em 2 horas esperam que respondas a 30 perguntas de desenvolvimento... mas mesmo assim os ingleses consideram difícil... os portugueses aqui já vnham com calos do secundário eram fácilmente dos melhores... mas o melhor de tudo era que os professores eram mesmo professores.... não eram doutores... estavam ali para os alunos (para dúvidas e problemas pessoais)...
E depois... depois posso fazer investigação e posso fazer um doutoramento em 6 anos em vez de quase 10 em Portugal... Estas são apenas algumas das diferenças... que no fundo tornam as coisas muito mais fáceis e agradáveis para quem vai para a universidade, não é o mesmo stress daí...
Mas... tudo tem um mas... não há praxes... ou tradição académica... os caloiros aqui são tratados como doutores... fazem tudo por eles... e os "doutores" (finalistas) são mais massacrados pois já não têm a papinha feita e têm muito mais trabalho... realidades muito diferentes não haja dúvida...
Bem este post já vai muito longo... e vocês devem estar fartos... jokas grandes
Ana

PS: agora é que pensam mesmo que sou doida!

11 comentários:

dinorah disse...

Olá linda!
Isso é que foram aventuras!
Também algumas vezes me passou pela cabeça sair do nosso país... mas nunca cheguei a concretizar nada superior a 2, 3 semanas!!
Por acaso, tenho posto mais essa hipótese após o curso acabado (e um mestrado quase...) mas, como professora não sei se seria boa altura para o fazer... Certamente perderia o meu (tão difícil e esforçado) lugar no papel de "contratada"!!

Enfim...
"Ai Portugal, Portugal!"
beijinhos

Ana Rangel disse...

Penso que já te disse, mas nunca é demais dizer: Admiro-te muito, mesmo muito!
Perseguiste e continuas a perseguir os teus sonhos, mesmo com estes pequenos/grandes esforços que vais fazendo. Penso que sabes ao que me refiro... ;)

Beijinhos, muitos, aqui deste lado!

Ad_Rocha disse...

Ana ficas publicamente convidada a visitar o meu blog. A coisa da semana, são os jogos gramaticais. No final, o melhor ganha uma viagem com:
Os dragões do país de ana.

ou uma viagem ao:
país dos dragões de ana.

ad

bekas disse...

Ana, minha linda!
és uma lutadora e vais ver que quando acabares essa etapa aí, no País dos Dragões, e voltares para este cantinho, vais mais uma vez conseguir o que queres.
Por todas as razões, mas principalmente, porque mereces!
Beijinho

Euroafricana disse...

És uma mulher com letra grande!
Bom fim de semana para ti, Ana!
xi♥

Joao disse...

Olá, Ana

Gostei de passar por aqui. O teu percurso parece-me um exemplo a seguir: vais traçando as tuas metas e procurando atingi-las com a sobriedade dos teus passos e o fulgor dos teus sonhos :)

Pareceu-me pelo que li noutro post, que entretanto já estás na fase final do teu doutoramento. Muitas felicidades, espero que corra tudo bem.

Também é bom encontrar alguém que esteja noutros países, a minha presença aqui na blogosfera é relativamente recente, mas gosto desta partilha de momentos e de ideias, independentemente dos mares e das serras que nos separem uns dos outros; e é um caso particular da língua portuguesa como caravela desta era das novas tecnologias (não que não nos entendessemos em inglês...)

Concordo com muitas coisas que referes relativamente ao ensino universitário em Portugal. E não fiquei nada farto ;) por mim podes sempre escrever textos longos

Um beijinho

D disse...

Aqui fica uma palavra de apreço, pois nao é qualquer que parte para o longe do país para iniciar uma nova vida. Deves ser uma pessoa cheia de força. beijinhO:)*

Someone Here disse...

Mais uma prova da tua enorme força! Vais consegir atingir os teus objectivos. Beijinhos.

Fonzi disse...

Já pensei em fazer a vida fora do nosso cantinho à beira mar, mas foi ideia passageira. Tenho o exemplo do meu mestre e mentor, que logo que acabou o curso foi trabalhar para a alemanha (fazer parte de uma equipa de topo para a construção de parte de um núcleo de fissão nuclear), mas "ah e tal porque é jovem", veio para portugal passados 2 anos.

Apesar de ser uma oportunidade única na vida (esteve a trabalhar entre os melhores, e evoluiu imenso, enquanto pessoa e enquanto profissional), naquela idade uma pessoa sente saudades do nosso país, apesar de ser uma pocilga de má qualidade...

Estou sériamente a pensar em fazer umas quantas especializações na holanda, na minha área, mas nada para mais de 1 ano. Fora isso, não sei... Ainda sou um puto novo para pensar nisso!

No entanto desejo-te toda a força do mundo, e as maiores felicidades!

Um abraço*

JOANA disse...

Sua doida (lol)...
Pensando assim realmente compensa ir pra fora de Portugal... Já se sabe que por aqui as coisas tão cedo não vão melhorar, mesmo estando agora outro governo, é que não vai ser em 4anos, que vão mudar tudo o que está mal em Portugal... Por isso continua aí e quando tiveres tudo aquilo que queres daí, aí pensa (mas só pensa) em voltar para Portugal ;)

AnaF disse...

Ola,
Tambem eu me chamo Ana, tambem eu sou Biologa (Microbiologia e Genetica) mas em vez de me encontrar no pais dos dragoes, encontro-me no pais das tulipas e dos moinhos de vento. Dei com este teu post por um acaso... e deixa-me que te diga que nem tudo e', em Portugal, como o pintas. E' verdade que as condicoes de estudo nao sao as melhores, que os professores nao sao os mais acessiveis, etc, etc, etc. No entanto, considero que o espolio de conhecimento e flexibilidade intelectual que adquires qdo tiras um curso em Portugal e' infinitamente superior ao de um estudante medio Europeu, e acho uma pena que muitas das universidades europeias optem pelos shortcuts e confiram graus academicos que nao preparam tao bem os seus alunos quanto o poderiam fazer. Falo-te da minha experiencia: fiz o curso de Biologia Microbiana e Genetica na Faculdade de Ciencias de Lisboa. Este esteve longe de ser o curso ideal... mas providencio-me as "ferramentas" de que hoje disponho e que me fazem sentir confiante como cientista. Pelo meio do curso fiz um estagio em Amsterdam (muito pobre no seu conteudo...) e um estagio em Lisboa. Nao me arrependo nem um bocado do ano que passei a fazer investigacao em Lisboa, pois o nivel de qualidade, exigencia, rigor cientifico e dedicacao eram la' do mais apurados q tenho visto. Gracas ao trabalho q la' desenvolvi e gracas ao que aprendi pude chegar hoje onde estou: a fazer Doutoramento num dos melhores laboratorios de toda a Europa e num dos melhores grupos a nivel mundial, com papers anuiais na Cell e na Science para dar e vender... e posso chegar aqui de cabeca erguida e falar do trabalho que desenvolvi o ano passado - e as pessoas pensam que sou uma post doc e nao uma aluna de doutoramento dada a qualidade do estudo que fiz...
Esta lenga-lenga toda e' so' para concluir o seguinte: as coisas sao ma's em Portugal, mas nao tao ma's quato possa parecer. Ha' muito boa gente BOA a fazer ciencia em Portugal, e muitos grupos de trabalho com renome e reconhecidos internacionalmente. A tendencia sera' para que a comunidade cientifica (de excelencia) em Portugal cresca. E e' o nosso papel e nossa responsabilidade um dia voltar para la' e oferecer 'as geracoes futuras tudo aquilo que tivemos o previlegio de aprender fora de Portugal. Grao a grao enche a galinha o papo!